28.10.13

One Shot - I'll Never Let You Go

 "Seu sorriso é o mais perfeito, sua risada é contagiante. Ela é sem dúvidas a garota mais perfeita que eu já vira! Uma pessoa tão dócil e inocente, simplesmente maravilhosa. Quando estou perto dela, o único pensamento que vem em minha mente é de que eu devo protegê-la daquelas pessoas tão más e perversas que poderiam rapidamente arrancar-lhe seu sorriso angelical. E eu simplesmente não suportaria o fato de ver-la chorar, ou até mesmo de perdê-la!"

   - Oi.- disse ela, numa voz calma. Ela sentou-se ao meu lado, e deu um sorriso de leve.
   - Oi.- retribui o sorriso.- Hum, tudo bem?- perguntei, ao reparar que ela estava mais séria do que o normal.
   - Eu acho que sim.- respondeu.- Quero dizer, ontem minha mãe teve uma briga feia com meu irmão... Por ele ter voltado bem tarde e completamente bêbado ontem.- comentou. Depois, soltou um longo suspiro.- As coisas estão ficando tensa entre eles. Minha mãe já ameaçou colocá-lo numa clínica de reabilitação, caso ele não parasse de beber tanto, mas isso só rendeu em mais discussão...
   - Queria poder fazer alguma coisa.- falei, ao ver o quão tristonha ela ficara ao contar aquilo.- Selena, você sabe que pode contar comigo quando quiser.
   - Obrigada, Justin.- agradeceu, olhando em meus olhos.- É bom saber que tenho alguém com quem contar.
   - Sempre terá.- ao dizer isso, um sorriso dócil invadiu seus lábios. Era impressionante o quanto seu sorriso era simplesmente perfeito!- Hum, tem planos para hoje a tarde?- perguntei, puxando assunto.
   - Para falar a verdade, sim.- respondeu, com um suspiro.- Joey vai dar uma festa hoje. Por que você não vem também?
   - Eu, sinceramente, não vou muito com a cara dele.- admiti, o que a fez bufar alto.- E tenho certeza que ele também não vem com a minha.
   - Você não pode simplesmente tentar ser legal com ele?- perguntou. Eu rapidamente balancei a cabeça, negando.- Sério, ele é meu namorado, poxa! Você não pode mesmo tentar?- insistiu, de maneira persistente. Eu respirei fundo.- Por favor!
   - Está bem!- ela sorriu, sem dúvidas o sorriso mais perfeito que eu já vira.
   - Obrigada mesmo, Jus.- falou ela, agradecendo novamente. E, ao sair, deu uma leve apalpada em me ombro. Acompanhei-a com o olhar, vendo-a levantar-se do banco onde estávamos sentados e desaparecer após dar a volta naquela grande e velha árvore. A verdade era que eu a amava, de um jeito que ela nunca pudera perceber.


   Peguei mais um copo, ingerindo aquele líquido com um pouco de dificuldade. Eu não era uma pessoa que costumava a beber. Aquele lugar já estava bem agitado. Um monte de pessoas aglomeradas numa casa não tão grande, fazia-as com que todo mundo ficasse bastante junto, o que de certa maneira me incomodava um pouco, tirando o fato daquela música exageradamente alta e a falta de luminosidade do lugar. Eu estava sentado em um canto, sem muito interesse em me divertir naquele lugar, enquanto reparava no quanto mulheres que pareciam quase nuas pareciam se esfregar em muitos homens, em busca de atenção. Aquele lugar era completamente desagradável! Ainda mais com o sumiço da Selena, que seria o único motivo pela qual eu ainda estaria naquele lugar, mesmo quase tendo certeza de que ela estaria com seu namorado.
   Só de pensar que um cara como Joey fosse seu namorado fazia com que todos os nervos de meu corpo ficassem a flor da pele. Tinha de admitir que eu ficava enciumado por ela estar com ele, mas não era esse o principal motivo pela minha frustração. Selena era a pessoa mais dócil e maravilhosa do mundo, e o fato de ela estar com alguém tão mau que a qualquer momento poderia destroçar o seu coração era simplesmente insuportável! Esse com certeza era o meu maior medo, e estava prestes a acontecer.
   - Selena!?- perguntei, completamente incrédulo com o que via. Selena vinha correndo em direção a porta daquela casa, seguida por várias pessoas que riam escandalosamente. Entre eles, estava Joey. Cerrei os olhos, lançando-lhe um olhar furioso, e rapidamente sai daquele caos, indo em direção a morena. Sabia exatamente onde ela estaria.
   - Selena!- eu vi-a sentada naquele banco onde costumávamos sentar, atrás da árvore. Ela abraçava as suas pernas, com a cabeça abaixada. Pude perceber que ela chorava desesperadamente. Aproximei-me a ela, sentado-se ao seu lado.- Selena...- seu choro era tão alto que ecoava todo aquele lugar. Ela ainda estava com a cabeça baixa, tremendo de um jeito estranho. E então percebi o porque ela se mexia daquele jeito, ela estava semi-nua! Rapidamente, tirei meu casaco e passei por cima de seus ombros.
   - E-eu o o-odeio.- murmurou, em meio aos soluços. Vê-la daquele jeito era mil vezes mais doloroso do que quando caiu de mau jeito e quebrou o braço.
   - Selena, o que aconteceu?- perguntei, tentando dizer com a voz mais gentil possível, escondendo como sentia-me com frio e raiva. Ela, assim, lentamente ergueu a cabeça, com lágrimas escorrendo por todo o seu rosto angelical, borrando aquela grossa camada de maquiagem escura. Contive-me para também não começar a chorar. Aquilo era o seu pior pesadelo tornando-se realidade!- O que ele fez com você?
   - Ele ten-tou ti-rar a mi-nha rou-pa.- contou, com a voz baixa e chorosa, rangendo os dentes em função ao frio. Arregalei os olhos, incrédulo mais ainda com o que ela contava.- Ele ten-tou ti-rar mi-nha rou-pa em fren-te a to-do mun-do.- ela dizia tudo isso com dificuldade. Num meio de consolá-la, abracei-a com força, fazendo-a apoiar sua cabeça em meu ombro.
   - Me desculpe, Sel.- disse, com a voz abafada. Selena não parava de chorar, e isso me matava por dentro.- Me desculpe por não ter te proteger...

Dois dias depois.
   - Sel..?- franzindo a testa, adentrei no quarto na mulher. Ela, ao me ver, rapidamente hesitou em frente a sua cama, e pôs as mãos por trás de si, como se escondesse algo. Ergui as sobrancelhas, estranhando sua atitude.
   - Justin, oi.- disse ela, parecendo meio nervosa. Aproximei-me a ela, novamente com a testa franzida.- O que você está escondendo?
   - Nada!- respondeu ela, com pressa, forçando um sorriso exagerado. Lancei-lhe um olhar desconfiado, o que pareceu a incomodá-la. Então, por estar completamente desconfiado por sua atitude estranha, dei um passo rápido, tentando pegar o que é que ela estava escondendo em suas mãos. Porém, nem precisei pegar o que ela segurava para perceber o que ela escondia. Selena arregalou os olhos.
   - Uma mala?- perguntei, agora bastante confuso.- Porque você está fazendo as malas?- a mulher mordeu os lábios, não sabendo o que responder.- Selena, porque é que você está arrumando suas coisas?- dessa vez, perguntei com a voz mais alta.- Selena..?
   - Justin...
   - Selena, me diga agora porque é que está guardando suas coisas nessa mala!- perguntei, num tom nervoso. Selena fechou os olhos com força, tentando conter suas lágrimas. Eu não tinha ideia nenhuma do que estava acontecendo, e ela não me responder fazia-me com que eu ficasse mais assustado.- Por que você não me responde!?
   - Eu vou me mudar, Justin!- contou ela, com a voz falha.- Eu vou me mudar para a Inglaterra... Com o Joey.- acrescentou ela, o que me fez ficar pasmo.
   - O que?- perguntei, não acreditando no que ela dizia. Selena, soluçou.- Como assim você vai se mudar para a Inglaterra? Como você vai ir morar com ele?
   - Justin, não é o que você está pensando...
   - Depois de tudo que ele fez para você, você vai assim, simplesmente ir mudar com ele!?- agora eu já exclamava. Selena, que colocou a mão na boca, manteve-se calada.- Como não é o que eu estou pensando?
   - Eu preciso ir, Justin. Kevin vai precisar fazer uma terapia para diminuir o seu vício, e minha família...
   - Você não entende, Selena! Você vai me deixar aqui, e vai ir para lá junto com o Joey?- Selena suspirou alto.- Você ainda o ama?
   - Se eu não for com ele, ele vai machucar a pessoa mais importante para mim! Ele... Ele vai te machucar, Justin!- arqueei as sobrancelhas e bufei alto.
   - Como assim ele vai me machucar? Mais do que você está me machucando?!- eu já tremia de tanta raiva. Selena já chorava.- Selena, eu não vou te deixar ir!
   - Justin...
   - Eu nunca vou te deixar ir.- disse, encarando profundamente seus olhos castanhos escuros. Assim, cerrando os punhos, sai de seu quarto, e depois de sua casa.


   Bati na porta várias vezes, de maneira frenética. Estava decidido do que iria fazer, com a fúria dominando minha mente. O ódio por aquele cara. Bati mais uma vez, dessa vez com mais força, fazendo com que a porta fosse aberta.
   - O que é que você está fazendo aqui?- perguntou Joey, com as sobrancelhas erguidas. Encarei-o com rancor.
   - A Selena não vai se mudar para a Inglaterra.- falei, num tom sério e autoritário. O cara, por um momento, fitou-me, como se esperasse que eu dissesse que fosse apenas uma piada, e ao perceber que eu dizia seriamente, soltou uma risada irônica.
   - Como é que é?
   - Eu não vou te deixar tirar a Selena de mim.- disse, encarando-o de forma séria.- Não vou te deixar ir, principalmente com você.- Joey simplesmente começou a rir de forma histérica e sarcástica.
   - Você sabe o que isso significa, certo?- perguntou, com certa ironia em sua voz. Eu suspirei fundo, porém, ainda com a cabeça erguida. Ele sorriu de forma cínica.- Você é bem corajoso, Justin, para um cara tão... Para um cara tão frágil e fraco como você. Pena ter que quebrar um rostinho tão... Fofo.- disse isso, e então senti um soco estalar em meu queixo, o que me fez cair no chão. Tentei me levantar, mas logo senti uma dor imensa em minha costela. Ele me chutava com força, enquanto eu permanecia caído no chão. Eu não conseguia nem me levantar! Qual chance eu tinha com um cara como ele?
   Senti mais uma dor terrível invadir meu peito, e com isso, senti como se tudo fosse ficando escuro. Era isso? Eu não tentaria nem reagir? E pior, eu não conseguiria nem impedir a Selena de ir? Assim, a última coisa que eu escutei foi uma voz feminina, um grito afinado e assustado, e finalmente perdi meus sentidos.

Alguns dias depois.
   Abri meus olhos, com a claridade refletindo em meu rosto. O sol fazia com que meus olhos ficassem doloridos. Parecia que eu havia dormido por dias! No entanto, logo percebi que eu não estava no lugar que eu pensara estar. Tentei sentar-me, porém, era como se todo o meu corpo não quisesse me obedecer. Olhei em volta, dessa vez com mais atenção, e por fim reconheci onde eu estava. Eu estava em uma sala de um hospital.
   Escutei alguém bater na porta, antes de ela se abrir. Uma mulher de vestes brancas entrou na sala, com um sorriso gentil. Pensei em fazer o mesmo, porém, ao tentar sorrir, senti como se para isso tivesse de me esforçar muito mais do que o normal.
   - Que bom que acordou.- falou ela. Estranhei-me pela maneira da qual ela havia dito aquilo. Porém, antes mesmo de eu resolver perguntar, ela continuou.- Tem uma pessoa que queria te ver.- disse, e uma mulher morena e um pouco mais baixa que a mulher de branco adentrou a sala. Reconheci-a rapidamente, e um sorriso novamente se formou em meus lábios.
   - Selena.- disse, esquecendo-me de todo o esforço que tive de fazer para simplesmente sorrir. Minha voz também saíra de um jeito estranho, como se eu não falasse faz dias...
   - Justin, oh Meu Deus!- exclamou ela, indo aos passos rápidos até a mim. Ela então abraçou-me, mas não com tanta força. Tentei retribuir o abraço, mas, como qualquer outro gesto que tentara fazer até aquele momento, parecia algo quase impossível. Franzi o cenho.
   - O que aconteceu?- perguntei. Minha voz saíra de um jeito rouco. Selena sorriu fraco, sentando-se na borda da cama onde eu estava.- Por que eu não consigo nem ao menos sorrir direito, sem fazer tanto esforço?
   - Justin...- Selena pôs-se a me encarar.- Você não se lembra do que aconteceu?- franzi ainda mais testa, e acabara de descobrir que pelo menos isso eu conseguia fazer.
   - Lembrar-me do que?- perguntei, confuso. Selena simplesmente respirou fundo.
   - Você enfrentou o Joey, não se lembra?- ela dizia tudo aquilo com a voz mais dócil do mundo. E, então, tudo clareou em minha mente. A minha briga com o Joey, ou melhor, nem briga. Ele havia me nocauteado de um jeito tão rápido que até havia feito-me sentido um completo idiota. Mas isso não era importante. Um outro pensamento vinha em minha cabeça.
   - Inglaterra...- murmurei, pensativo. Assim, virei-me para Selena, curvando minhas sobrancelhas.- Você iria viajar com ele... Isso é um adeus?- perguntei, com certa amargura em minha voz. Tudo voltaria a ser como era, no final eu iria mesmo perder a Selena?- Porque eu não quero que você vá, Sel! Você vai sofrer com ele, e eu não terei como te proteger... E eu também irei sofrer!- afirmei. Selena, que permanecera calada, pegou em minha mão.
   - Eu não vou para lá.- avisou ela, o que me fez arregalar os olhos.- Não mais. Eu fui uma completa idiota ao pensar que ir com ele para lá seria o melhor! E eu não havia percebido isso até eu ver-lo caído no chão, enquanto Joey te arrebentava!
   - Obrigada por ter me lembrado disso. Eu sei que sou um fracote, mesmo...
   - Não, Jus!- protestou ela.- Você é o cara mais corajoso que eu já conheci em toda minha vida!- afirmou ela, o que me fez novamente franzir a testa.- Foi você quem sempre me protegeu, quem sempre me ajudou, quem sempre me consolou, quem sempre se preocupou comigo e... E quem sempre me amou. E eu fui uma completa idiota ao pensar que eu conseguiria distanciar-me de uma pessoa tão especial para mim e...
    - Eu te amo, Sel.- declarei, impulsivamente. Mas ela pareceu não se impressionar com a minha declaração. E isso me incomodou de alguma maneira.
   - Já se passaram quase duas semanas, Justin.- contou ela. Isso não foi bem o que eu gostaria de ouvir, principalmente por eu ter acabado de me declarar para ela, porém, não posso dizer que não surpreendi-me com o que ela falara.- Eu vim ver você todo dia, Justin. Você estava desacordado a 12 dias! E, nesse meio tempo, Joey já deve estar se divertindo com outra mulher lá em Londres...
   - E você se importa com ele?- perguntei, com medo de qual fosse sua resposta. Selena lançou-me um olhar cínico.- Porque, como você deve ter escutado, eu acabei de dizer que eu te amo e...- porém, numa maneira de me calar, Selena beijou-me. Aquele com certeza era o melhor beijo que eu já tivera em toda a minha vida! Pois, no momento em que seus lábios tocaram os meus, eles chocaram de forma tão perfeita que era como se fôssemos destinados á aquele beijo, como se fôssemos apenas um só! E as nossas línguas dançavam em uma sintonia simplesmente maravilhosa! Porém, depois de um tempo, a mulher afastou-se, e aspirou o ar profundamente. Eu logo fiz o mesmo.
   - Eu sempre te protegerei, minha pequena Sel. Eu nunca vou te deixar ir...- Selena sorriu, e eu não pude deixar de fazer o mesmo. Seu sorriso era o com certeza o mais maravilhoso.


Hey girls! Tudo bem com vocês? Bem, gostaram da one shot? Eu sei lá, eu meio que gostei dela. Achei ela bem rápida, acho que essa é a palavra certa, ashuahshau'. Achei legal escreve-la, algo tão curto e tão rápido de se ler que chega a ser diferente do que eu sempre escrevo. Desculpem se ficou um pouco confuso ou rápido demais a história, sei lá, como essa ainda é a primeira one shot que eu escrevi, talvez tenha mesmo ficado um pouco confuso, ashuashau'. Eu tinha escrito-a faz um tempinho atrás, e como eu até que achei-a legalzinha, resolvi postar-la. Na verdade, tenho mais uma mini-fic nos rascunhos, ainda não terminada, e quem sabe eu as poste-a. Sei lá, eu quero encher esse blog de histórias, já que a The Mysterious Blood, se for por mim, está ainda longe de acabar, ahsuash'. Enfim, não tenho muito mais o que falar, então acho que é só. Espero mesmo que tenham gostado, postarei o próximo capítulo de TMB o mais rápido que puder! Beeijos!

   
Foooofos <3'